Ações do Sembrain

A fim de cumprir com os objetivos traçados para o Setor, apresenta-se a seguir as ações desenvolvidas durante o ano de 2018.


VISITAS TÉCNICAS

O Sembrain tem recebido profissionais de outros setores/departamentos, bem como de outras instituições interessados em conhecer mais de perto o trabalho que vem sendo desenvolvido na escola em relação ao atendimento à pessoa com deficiência e/ou necessidades educacionais específica.

  • 01 de outubro – professores participantes (convidados) do Festival Internacional de Violão de Natal – sendo: dois professores da UFRJ, um regente da Espanha, um compositor do RJ.
  • 4 de outubro – Servidor do Núcleo de Acessibilidade da Universidade Federal do Espírito Santo
  • 22 de novembro – IFPB e Campina Grande
  • Alunos do Curso de Design da UFRN – professora Responsável Elizabeth Romani
  • Mês de Novembro – Profissionais da Escola de Música da UFPA.

CURSOS DE MÚSICA (EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA)

Oferecimento de cursos de música a nível de extensão universitária para a comunidade externa com deficiência e outras necessidades específicas. Tais cursos, além de prestar um serviço à comunidade com deficiência também se transformam em importantes laboratórios de ensino para a formação inicial dos alunos dos cursos de graduação, espaços para aplicação prática dos conhecimentos teóricos adquiridos
no curso.

Curso Público Atendido Alunos
 

 

Musicalização

Pessoas com deficiência visual 22
Pessoas com Autismo 25
Pessoa com paralisia cerebral 1
Pessoas com Síndrome de Down 7
Instrumento Pessoas com deficiência visual Piano 1
Violão 5
Flauta Doce Soprano 22
Flauta Doce Contralto 2
Percussão 3
Contrabaixo elétrico 1
Pessoas com Autismo Flauta Doce Soprano 15
Pessoas com microcefalia Percussão 1
Pessoas com Síndrome de Down Percussão 2
Musicografia Braille Pessoas com deficiência visual 22
Técnica vocal Pessoas com deficiência visual e familiares 26
Total de atendimentos nos diversos cursos 155

ADAPTAÇÃO DE MATERIAIS ACESSÍVEIS

A partir do oferecimento de cursos de extensão para a comunidade externa e o ingresso crescente de alunos com deficiência nos cursos regulares, a Escola de Música da UFRN passou a realizar adaptação de materiais para formato acessível para atender às demandas desses alunos. Dessa forma, o SEMBRAIN realizou adaptação, revisão e impressão de materiais diversos. Dentre os serviços de adaptação de material, destaca-se o de transcrição e revisão de partituras para o Braille.
O Sembrain trabalha em parceria na inserção de materiais adaptados no Repositório de Informação Acessível da UFRN, principalmente no que diz respeito a arquivos de partituras transcritas para o Braille (utiliza-se o software Musibraille e o usuário que desejar imprimir a partitura, baixa gratuitamente o software cujo link se encontra disponível no próprio RIA); livros e textos adaptados da área de educação musical especial e inclusiva.


PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS ACESSÍVEIS

Além da adaptação de textos e partituras, o Sembrain incentiva a criação e produção de materiais didáticos junto aos alunos do Curso de Licenciatura em Música, principalmente através das disciplinas de “Música e Educação Especial”, “Musicografia Braille I” e “Musicografia Braille II”. Dentre os materiais criados em 2018, temos o Kit Musicografia Braille II, contendo: folhas com símbolos básicos de musicografia Braille em alto relevo.
Em relação ao ensino, vale destacar que a Escola de Música da UFRN é a única instituição de ensino superior que inseriu no Programa do Curso de Licenciatura as disciplinas Musicografia Braille I e Musicografia Braille II. É um dos poucos cursos que tem em seu currículo mais de duas disciplinas na área da educação especial/inclusiva, totalizando quatro disciplinas: Música e Educação Especial (obrigatória); Libras (obrigatória); Musicografia Braille I (optativa – e está em vias de se tornar obrigatória) e Musicografia Braille II (optativa).


ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS NA ÁREA DE MÚSICA E INCLUSÃO

O Sembrain também é responsável por diversos eventos que tem acontecido na EMUFRN na área da educação musical especial e inclusiva. O mais importante deles são: Encontro sobre ensino de música para pessoas com deficiência visual e Seminários de música e inclusão, que acontecem anualmente desde 2013. Nesses eventos, vários profissionais locais, nacionais e internacionais tem participado – inclusive músicos profissionais com deficiência – e compartilhado suas experiências e conhecimentos. Esses tem permitido maiores reflexões e desenvolvimento de estratégias de ensino, de metodologias, de pesquisa na área, bem como o fortalecimento da política de inclusão da UFRN, mais especificamente, da Escola de Música.

Realizamos neste ano de 2018 o VI Encontro sobre Música e Inclusão (VI EMI). Nessa edição, sua programação contou com 1 Conferência (tendo como conferencista professor convidado da Universidade Lusófona), 7 mesas redondas, 3 Palestras, 5 momentos de apresentação musical, 3 momentos para mostra de recursos de tecnologia assistiva, 10 oficinas, apresentação de trabalhos (sendo 7 comunicações orais e 4 pôsteres científicos). Além disso, após reunião de lideranças, foi construído e aprovado proposta de regimento do SEMBRAIN e, ainda, discussões foram levantadas em torno da necessidade de construção de um documento para ser enviado ao MEC recomendando a inserção da Musicografia Braille como disciplina obrigatória nos cursos de licenciatura em música.